O que não misturar – Parte 2: COMENDO EM RESTAURANTES

O que não misturar – Parte 2: COMENDO EM RESTAURANTES

restaurante,Depois de escrever de uma forma geral o que devemos evitar misturar em uma dieta quando o objetivo é a redução da gordura corporal, vou falar hoje sobre o mesmo tema, mas de uma forma mais específica: Comendo fora de casa – O que não misturar em restaurantes.

Muita gente acha que é inviável seguir um programa alimentar, pois teria que preparar todas as refeções em casa e levar marmita para todos os lugares. Há quem goste e consiga toda esta dedicação, mas há também que não suporte ou seja inviável tamanha disciplina. Isso não significa que estas pessoas não possam ter resultados favoráveis! Acho que meu papel como nutricionista é tentar, ao máximo, entender a rotina do paciente e montar um programa viável para cada estilo de vida. Não acho impossível termos resultados positivos comendo fora de casa. Apenas algumas atenções a mais devem ser dadas na escolha dos alimentos (e dos grupos alimentares).

Seguindo a mesma linha do post anterior, para manter uma dieta focando em perda de gordura devemos ficar atentos para não misturar um excesso de gorduras com carboidratos (especialmente simples – de mais alto indice glicêmico). Mas, na prática, o que isso significa? Geralmente o maior problema dos restaurantes é que os alimentos ditos como “grelhados” são, na verdade, fritos. Muitas vezes em manteiga, margarina, óleos.. enfim, um excesso de gordura “rodeia” esta proteína. Mas então, o que fazer?

Simples! Visto que alimentos gordurosos serão inevitáveis, tente reduzir a quantidade de carboidrato neste momento. Assim, não estaremos estimulando insulina (hormônio extremamente anabólico) em uma refeição cheia de gorduras. Portanto, estaremos evitando uma grande sinalização celular para que haja o armazenamento desta.

Na prática: se a proteína do restaurante é mais gordurosa, evite incluir neste mesmo momento arroz, batata, mandioca, inhame, baroa.. (mesmo que assados!). Atenção! A regra não vale para preparações proteicas “à milanesa” , ok? Pois, neste caso, estamos fritando (envolvendo de gordura) uma farinha (carboidrato simples)! Ou seja, nada de bife à milanesa (mesmo que sem a presença de carbo)!

Vale uma ressalva importante: O ideal é que esta não seja a refeição “pós treino”! Pois, se o objetivo é a recuperação de glicogênio muscular, o carboidrato torna-se fundamental e a gordura atrapalharia o processo de recuperação muscular. Mas isso já é assunto para um outro post…

Bons treinos!

 

Um comentário em “O que não misturar – Parte 2: COMENDO EM RESTAURANTES

  1. Muito bom Julia!
    Eu estou em dieta para ganhar massa muscular e para piorar estou de ferias na Bahia para curti o carnaval, e manter a minha dieta aqui tá sendo muito complicado pois eu estou comendo em restaurante e eu não tenho o controle sobre a maneira de como a minha alimentação está sendo feita. e neste caso fica um pouco complicado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s